O faro das fêmeas


Coisa mais fraquinha! E pronto, não fosse eu um bocado tagarela (é fazer o favor de conotar com eloquente), isto seria tudo o que haveria para dizer acerca do faro das fêmeas. Mas como sou mesmo tagarela (eu até prefiro a expressão linguareiro, mas se calhar ia ter de explicar o seu significado, e talvez aproveitar para fazer algum trocadilho incrivelmente bem sacado, mas… náh!) … voltando ao raciocínio… como sou mesmo um bocado linguareiro (pronto, teve de ser), até vou espalhar por aqui uns brindes de maravilhosas tiradas de lógica irrefutável e, quiçá, transformarei as minhas sábias palavras numa brilhante alocução filosófica. Pois bem, vou directo ao assunto. A cavalo ou a mariconço? Afinal, qual é o odor que o nariz das mulheres prefere detectar num homem? O cheiro a cavalo é… bem… (como é que hei-de explicar isto a quem não sabe realmente como cheira um cavalo? Bem, tenham em mente o cheiro a sovaco sem desodorizante depois de duas horas de ginásio… dá para fazer uma ideia bastante simpática da dita fragrância). O cheiro a mariconço é… (raios! Os mariconços são tantos por essas ruas que é verdadeiramente difícil identificá-los a todos com o mesmo rótulo… é lavanda, é pinho, é… é… flores do campo… raios!). O melhor mesmo é abordar a questão em outros termos. Um homem a cheirar a corpo, a pele, a quente? Um homem a cheirar a amaciador de roupa, a perfume, a fresco? Qual, hã? (devo esclarecer que não pretendo realmente que me respondam, uma vez que eu mesmo me vou encarregar de o fazer). Ora vejamos… um homem a cheirar a corpo não é necessariamente mau. Se os cuidados de higiene forem regulares (qualquer coisa que inclua um banho diário ou, vá lá, sem grandes exageros… dia sim, dia não), já é o suficiente para não fazer as flores murcharem nos vasos. Pessoalmente, eu gosto do cheiro da minha pele. A parte do “quente” foi só uma mensagem manhosa para iniciar o motor de arranque da libido e deixá-la a trabalhar no subconsciente de quem quer que leia isto. Mas vejamos também o outro lado… um homem a cheirar a amaciador de roupa também não é necessariamente mau (isso, se excluirmos os indicadores lógicos de que poderá ser um panhonhas casadinho, ou um pendura da mãezinha que lhe trata da roupa, ou aquilo a que algumas pessoas, já de si dementes, chamam de “doença”… mas, pronto, também pode ser apenas um tipo que não goste de andar a cheirar a mofo ou a naftalina). Pessoalmente, o cheiro de certos perfumes também me agrada. Mas, nesta questão, confesso que me confundo um bocado. Quero dizer, se um perfume de homem me agrada, é natural que também agrade a outros homens. À partida, pode parecer não haver qualquer motivo para confusão. Ai não que não há! Então vejamos… é claro que convém o homem gostar do perfume que usa mas, sejamos honestos, essa não é mesmo a prioridade… o objectivo é agradar às mulheres. E se um homem erra na escolha do frasquinho e anda por aí a cheirar a… a coisa boa para outros homens? Pode muito bem ser atacado à traição em alguma esquina (ou em qualquer outro lugar sem conotações ambíguas). E o lixado da coisa é que nem sequer adianta usar secretamente perfume de mulher (que, supostamente, também agrada às mulheres) porque, alegadamente (para não repetir supostamente), ainda agradará mais aos homens. Ah! A parte do “fresco”… aaa… isso foi apenas para servir de oposição a quente, já que estava a tentar fazer uma distinção, e tal (Ok, pode não ter sido essa a razão, mas eu invento as baldrocas que bem entender). Hum… fazendo um apanhado, acho que as mulheres gostam mesmo é de encostar o queixo entre o pescoço e o ombro (algures na zona da clavícula) de um homem, fazerem o seu “snif” hormonal (ou qualquer outra expressão que entendam mais romântica) e pensarem lá para elas: “Hum… que cheirinho bom! Não sei o que é, mas é mesmo bom!” E é precisamente aí que o faro das fêmeas falha! (aposto que não esperavam por esta dramática reviravolta quase no fim do filme). E falha porque as mulheres farejam directamente com o cérebro sem passarem grande cartão ao órgão sensorial que existe precisamente para efeitos farejadores (além de contribuir para caras bonitas… e feias, já agora). Hello! O nariz está mesmo na frente dos olhos, ó mulherio! É que o cérebro das mulheres (ou a falta dele) faz com que elas deixem os homens passarem na inspecção, mesmo quando as coisas não lhes cheiram bem (sim, acabei de utilizar um trocadilho de profundo e considerável valor metafórico… treinem palavras cruzadas e depois resolvam a charada). Sabem, é que o cérebro tem um defeito que o torna absolutamente imbecil em questões de percepção sensorial: frequentemente, dá-se a liberdade de se estar perfeitamente a marimbar para os sentidos básicos que restaram do longínquo passado do instinto animal. E pronto, é dessa maneira que, às vezes, as mulheres dão consigo a gostar de um homem que, apesar de tomar banho, usar perfume (ou o simples desodorizante, vá), cheira a cavalo de estábulo sobrelotado. Mas isso também acaba por não incomodar por aí além a muitas mulheres… desde que o homem saiba galopar e as monte como a umas éguas. (esta afirmação foi mesmo para desafiar soco… o que não invalida qualquer eventual sapiência contida nas entrelinhas). Resumindo (desta vez é para valer): mulheres, às vezes, os homens não cheiram assim tão bem… vós é que “pensais” que cheiram. (pronto, certas pessoas menos informadas acerca deste fenómeno de má percepção sensorial também lhe podem chamar amor, ou lá o que é).

Cão Sarnento.

4 comentários:

Who Am I disse...

Só vim aqui declarar que a EMBECIL, veio-te ler :)

beijocas

Who Am I disse...

AH, esqueci-me de perguntar...ladro bem, não ladro?
ehehhe

O Fantasma e o Anjo disse...

EhEh
Beijo e abraço

Cão Sarnento disse...

Ladrar sem morder é o mesmo que provar e não comer.

Saudações cordiais, e outras coisas que tais. (he-he)