O Cão


O que é mais apelativo: a ilusão de sermos ou a ilusão de parecermos? Pergunta difícil. Resposta complicada. Não vou sequer falar da verdade. Há quem diga que não existe. Deve ser por isso que a verdade é menos apelativa do que a ilusão. Ilusões há muitas. Verdades há poucas. Na verdade, a verdade irrita (frase curiosamente redundante). E por que razão irrita assim tanto a verdade? Por tantas razões que não cabem numa página de respostas. Vou apenas dizer qual é a maior razão para a verdade irritar assim tanto. A verdade irrita porque limita a ilusão. Todos gostamos de parecer melhor do que o melhor que somos. Mas todos sabemos qual é a verdade. A verdade é que parecer não é ser. Ou talvez seja. Se parecermos por tempo suficiente, e com cega convicção, talvez passemos a ser isso mesmo… aquilo que parecemos (na nossa cabeça). Eu não sou tudo o que pareço. Não me custa admitir, porque também não faço por parecer o que não sou (não tenho culpa dos erros de percepção de gente desatenta). Às vezes, nem sequer queremos ser melhores. Apenas queremos ser diferentes. Estamos fartos de sermos os mesmos por tanto tempo. E esse cansaço começa cada vez mais cedo. Até há bem pouco tempo, era coisa que vinha com “os trinta”. As pessoas ficavam repentinamente com a febre de “mudar de vida”. Realizar sonhos que ficaram na gaveta ou qualquer outra treta (só para rimar com gaveta). Mas nos dias que correm é coisa que já apanha as pessoas na adolescência. Mal acabam de ser desmamados, os jovenzinhos ficam logo fartos de serem gente normal. Todos/as querem ser aquele/a cantor/a que veste roupas ridículas em cima de um palco, na frente de milhares de ilusões aos pulos. Querem ser artistas esquizofrénicos que acham que uns salpicos de tinta ao calhas fazem uma obra-prima. Querem pintar telas inigualáveis ou representar papéis importantes no cinema. Palermas. Todos desvalorizam o papel mais importante das suas vidas: as suas vidas. É a ironia mais sacana que pode haver. Eu sou o Cão e não sou. Sou, para quem apenas o conseguir ver. Não sou, para quem me conhecer. Ou será ao contrário? A pergunta não é para mim. Eu sei o que sou. Sou os dois. Cão e não. O que os outros são, a maior parte das vezes, é apenas ilusão. Mas a ilusão é de quem? Não há óculos high-tech para ver através da fachada humana. Há aparelhos que permitem ver até à medula do osso humano. Podemos ver o próprio sangue a fluir nas veias. Mas não há máquina alguma que nos permita olhar para dentro das pessoas da maneira que mais importa. Podemos ver-lhes o coração, mas não vemos o que o faz bater. Não vemos essa razão. Resta-nos acreditar que a podemos saber mesmo sem ver. Resta-nos essa ilusão*.

Cão Sarnento.
*post scriptum: abram mas é esses olhos, pá!

27 comentários:

Miepeee disse...

Gostei bastante deste texto.
Na sociedade em que vivemos ha quem prefira parecer a ser. Nao sou pior nem melhor que os outros mas prefiro ser, mesmo que isso signifique nao me acharem tao cool porque nao uso malas Louis Vuitton. Quem quiser ser meu amigo sera por aquilo que sou e nao porque posso parecer. What you see is what you get.
Beijo.

Cão Sarnento disse...

And if you see nothing, that's what you'll gonna get. :D

Who Am I disse...

Eu gosto da ilusão que crio a respeito de os outros serem melhores do que se mostram!
É que isso de verdades...as minhas verdades não têm de ser as "tuas" e vice-versa.
E acho que se consegue "ver" os outros, assim o queiramos e nos disponhamos a tal. Ninguém consegue mascarar-se por muito tempo. Consegue? :(

Cão Sarnento disse...

No que me diz respeito, permito as máscaras no Carnaval. E apenas pela única e simples razão de saber que é o dia das máscaras, sem enganos. Infelizmente, a maioria das pessoas não tem a noção de que dizer a verdade é mais fácil do que dizer a mentira. O que é difícil é estar à altura da verdade que se diz.

sofia disse...

Ora,se o pessoal nao fingisse um bocadinho, coitados dos cromos, dos psicoticos e dos simplesmente desinteressantes!
Eu não sou adepta da verdade a todo o custo; da verdade que tem de vir à superficie doa a quem doer, pq o mundo nao é assim tao linear. Tambem nao defendo a mentira so pq sim, até porque quem tem dois palmos de testa detecta logo o mentiroso a fugir de bengala estrada fora.

VIVA OS MENTIROSOS!!!!! :D

Who Am I disse...

Dificil estar à altura da verdade que se diz? Não entendi!

Quem diz uma verdade tem medo de quê?

Além disso quase aposto que també usas..aliás este blog que é senão uma máscara?

Who Am I disse...

PS: Ainda bem que estás vivo :))

Cão Sarnento disse...

Mau! Mas será que a verdade é uma chicla aldrabada que perde o sabor logo que entra na boca? Mas será?! SERÁ?! (na verdade, eu não estou mesmo indignado... é só para aumentar o dramatismo).

Quando dizemos a verdade temos de ser a agir consoante aquilo que dizemos. Como isso é coisa de que muito pouca gente é capaz, normalmente, a maioria fica-se pela mentira e logo se vê o que mais se inventa. A máscara usa-se para esconder a face. Este blogue é uma das minhas faces.

Who Am I disse...

Não é bem assim...eu posso dizer-te a verdade e não agir de acordo com aquilo que te disse, por uma série de factores externos que me levam a não mostrar a verdade que te disse. E tu não mentes?

Esta tua face, é uma máscara. Como podes dizer que não? Se fosse apenas uma face tua, mostravas-te, não é?

sofia disse...

Deixemo-nos de idealismos! Daqui a pouco vais dizer que tb és comuna! Ah e tal, o que é de todos a todos!
-.- Toda a gente sabe que uma mentirinha de vez em quando não faz mal a ninguém. Se vamos ser tão extremistas, também não se pode omitir!
"És bueda FEIO!" Toma lá a verdade, deixa-te mas é de ilusões! Eu preferia dizer: "Epah, não és lá muito bonito!"

VIVA OS MENTIROSOS!!!!!

Cão Sarnento disse...

Eis que se revela a face do Criador! Tcha-ran! O gajo careca a incandescer de charme na ilustração sou eu! (não faço nus integrais... é escusado pedir... aquela cena lá do diabo foi uma vez sem exemplo).

Hum... comuna... hum... pensando bem... realmente, eu uso muito vermelho nas ilustrações!

Who Am I disse...

Achas que por mostrares a careca, te estás a mostrar?? Ai...não, não acredito que sejas assim básico. Senão és um desilusão! E não quero que sejas, porque és desde o primeiro instante das pessoas que mais gosto :)

Estranha eu :))

Turki disse...

Tudo …. Bla bla bal… a verdade é que as pessoas são todas más e usam uma capa ( umas menos feias do que as outras , mas não passam de capas)
MAIS… em relação ao calçado… era melhor sem… OK? Isto é só para não haver problemas … percebes cão?
Estou zangado, ai que zangado que eu estou … ???
Verdade Mentira Verdade Mentira Verdade Mentira… até a verdade é Mentira.
Mentira que não se usam acessórios por não parecerem o que desejariam parecer/ter, outras que utilizam “isto” para romantismos com pseudocodigos… AI NÃO ISSO NUNCA … e acaba tudo no mesmo bla bla bla que começou !

Engonha McQueen disse...

Eh lá, qual António Aleixo, qual quê?
É isso mesmo... hã?!

Eu acho que seria muito mais profícuo se viesses para aqui discutir o ritual de acasalamento dos esquilos... É coisa que me anda a incomodar um bocado!
O resto.. "blá, blá, blá!"

(Este Turqui é que a sabe toda!)

Turki disse...

Engonha… vais me desculpar mas eu não tenho nada a ver com o teu problema de prurido anal.ok?
Até a vista e as melhoras :)

Engonha McQueen disse...

Turqui, Turqui... se fosses sapateiro, vinhas para aqui falar de sapatos! Qual prurido anal, pá??? E qual problema? A ver se entendes: E-TO-LO-GI-A! got it? Desporto de gente curiosa e observadora... gente culta, vá!

(Vai lá por pó talco que isso passa! Hasta:D)

Turki disse...

Um dos sintomas dessa tua anomalia deve ser dislexia… mas eu acho que tenho um bom remédio para ti… hummmmm… Cianeto. “GOT IT” :D ..???

Cão Sarnento disse...

whatever...

carpe vitam! disse...

ena, ena, o que práqui vai...

a verdade

é incómoda
é chata
tem costas estreitas
não tem imaginação
é fodida pela mentira
é um raio duma flecha que por mais voltas que dê, atinge certeira, o coração

sem mentira, não existe verdade. juntam-se as duas à esquina e fazem a realidade
(lésbicas dum raio)

mas uma coisa é certa:
A VERDADE LIBERTA

Cão Sarnento disse...

Em virtude de uma resposta mais digna da minha iluminação de espírito, retiro o meu whatever em função do seguinte:

“Se umas quadras são conselhos
que vos dou de boa fé
outras são finos espelhos
onde o leitor vê quem é”
(citado do tal António Aleixo)

Talvez tu, meu caro amigo (sem ironia) “peru” mal escrito em inglês (com ironia) tenhas mesmo razão e seja tudo bla, bla… De qualquer maneira, vê lá se queres que te fure o outro mamilo com uma agulha de cinco centímetros (tu sabes).

E, com isto, desabafo que já me anda a irritar atirar pérolas a porcos. Quem quiser que entenda e quem não quiser que não entenda. Tanto se me dá como se me deu. Se há alguém que se interesse, esse não sou eu. Um passar bem para todos e para ninguém.

(eu não estou verdadeiramente irritado… sou um paz d’alma que raramente perde a calma… mas pronto, um tom de severidade reveste a coisa de um carácter mais sério)

Who Am I disse...

QUÉ BRUTO!

Turki disse...

YOU "DOG"!
Com coisas sérias não se brinca...
You want pain, i give you pain!

Cão Sarnento disse...

Não se brinca? Olha, para mim, foi uma grande brincadeira escuchinar-te como a um porco! (para quem não souber o que raio significa "escuchinar", não se esforcem... ou sabem ou não sabem). E... pain? Pain foi ver um homem do teu tamanho a chorar como um menino! A agulha nem era assim tão grande, pá! (pronto, chorar até não choraste... mas suaste como um suíno!). HAHAHAHAHAHAHA! AI CAR(V)ALHOOOOOOOOO!!! UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!! (pronto, já passooouuuu)

carpe vitam! disse...

«A saliva se faz pó
Na boca ungida da santidade
que com piedade
Liberta a raiva de quem ministra a extrema-unção
Da unha e carne…
Mas não liberta a própria vaidade.

O céu e o inferno
Andam juntos de mãos dadas
E não precisa haver tapas na cara
Para se perceber a aberração nos corpos
A perversão dos sentimentos
A deturpação
Nos olhos de quem prega a moral
… Velhos constrangimentos.

O verdadeiro malfeitor
É quem omite os próprios erros
Coloca toalhas encharcadas sob o meio termo
Esconde sua cara amassada
Para não “ferir” segundos e terceiros.

E na bondade dos incrédulos beatos
O mundo se faz a girar
Na ponta da mentira existe a caridade
De quem decide qual verdade te vai contar.»

Letícia Coelho, PONTA DA VERDADE

carpe vitam! disse...

and now for something completely different... estava aqui ouvir isto e lembrei-me inevitavelmente de ti. ai se eu apanho esse pilau... ahaahahahaahah!

(fluribi, ihihihih)

Cão Sarnento disse...

Alto a pára o baile! Aqui ninguém apanha o pilau de ninguém! Apanham-se umas piadas bem giras e alguns trocadilhos duvidosos, mas that's it. De resto... não há resto.

carpe vitam! disse...

num carece de ser aqui nem agora. num perdes pela demora...

(candis)