"Fuck you very much (ou masturba-me o cérebro)"

Foder.


(é, a palavra assim isolada tens os seus efeitos)


(e um parênteses a referir os efeitos da palavra destrói completamente os tais efeitos)


(é como pensar “quero comer-te o cu”, e dizer “abraça-me”)


(pior do que isso… é dizer “abraça-me”, e pensar “quero que me comas o cu”)


Chega de parênteses. E apartes. E notas de rodapé. Foder é o que é. É um caralho e uma cona (para começar). Aqui não há amor. Não se entra no corpo de outra pessoa por amor. E também não se deixa entrar por causa de amar. É sempre uma incómoda imposição. Uma invasão. Para foder não pode haver respeito. O homem que respeita a mulher que lhe abre as pernas não fode, faz amor. Fazer amor é chili sem picante. Dizer isso é o bastante. A mulher que respeita o homem que lhe entra pelas pernas não fode, faz… o que for (eu cá, não sei… a sério que não). “O que for” é a mais puta dor. E dói porque a mulher não sabe. Nunca sabe se o homem que lhe entra e sai do corpo, ao ritmo da respiração, a quer ou não. Querer com vontade para além “daquela” vontade. A mulher sabe que o quer. É por isso que o deixa entrar. Mas, se ele a “quer”, vá-se lá saber até onde as promessas são verdade. Então, e o contrário? Alguém se lembra de perder horas de sono, de olhar parado na luz apagada, a matutar nas contas desse rosário? E quando é o homem o otário? E quando é ele que cai no conto do vigário? Homem não chora? Ora essa, agora! Ai chora, chora! E, já agora, também cora (só para rimar com “chora”). Ah! E não adianta remoer mais a parte em que eu disse que para foder não pode haver respeito. NÃO PODE! (há que aceitar e andar lá com isso). Sim, subsiste a questão: então, como é que se fode com alguém que se respeita? A minha resposta: boa sorte com isso! Eu sei o que é preciso fazer (não me perguntem se o faço sempre… além do mais, não respeito assim tanta gente dessa maneira). Pois tudo muito bem, assim não se elucida ninguém. E eu com isso! EU-COM-ISSO! (isto aqui não é nenhuma trampa de consultório sentimental). E a incómoda questão persiste: como é que se fode com alguém que se respeita? Não vou dar a resposta directa. Mas deixo pistas para quem fareja com o cérebro. Pista um: como é que se diz à mulher que se ama “quero vir-me na tua boca”? (sim, no que toca a ensinar, sou mesmo um sacana de merda!). A maioria das pessoas discordará, mas também se pode responder a uma pergunta com outra pergunta. Neste caso, quem souber a resposta para a pista um, também saberá a resposta para-a-incómoda-questão-que-persiste: como é que se fode com alguém que se respeita? Pista dois: como é que se diz ao homem que se respeita “quero a tua língua dentro de mim, até me vir sem avisar”? Para quem esquece com os olhos e recorda com os dedos, será fácil notar aqui um padrão que se começa a desenhar: as minhas respostas são perguntas (eureka!). Responder a uma pergunta difícil com outra pergunta é uma espécie de vénia que se faz às pessoas que usam o intelecto. Uma resposta clara e directa dá-se a qualquer idiota. Os idiotas fazem amor, ou… o que for. Quem está bem, que se deixe estar. E, se está bem, não tem porcaria de motivo algum para se questionar: como é que se fode com alguém que se respeita? Pista três: o que se responde a alguém que nos pergunta “como é que se aguenta o nojo de fazer amor sem amor”? Pronto, para esta, eu vou dar a resposta: “respeito… ou o que for”. (daria o dedo mindinho do pé esquerdo para saber quantos percebem de facto até que ponto a minha resposta presta contas ao sarcasmo… os dedos mindinhos dos dois pés que eu daria!).


Cão Sarnento.

39 comentários:

S* disse...

Há que saber separar as águas. Amar é bom... foder ainda melhor. ahahah

Paula disse...

Só os dois dedos mindinhos dos pés?
Se ainda fossem também os das mãos...
:)

Cão Sarnento disse...

S*, ó S*, S*... Os problemas começam quando se torna fodido amar (amar a foda é fácil).

~

Paula, eu preciso dos dedinhos das mãozinhas para meter papinha na boquinha. Além do mais, se eu ficasse desdedado, como raio é que eu escreveria textozinhos tão poéticos e pintaria imagens tão lindinhas? (ué, num podia, né!)

sofia disse...

foda-se, o ordinário de sempre.

e não é por conta e risco nao! tu sabes que é verdade lol

Cão Sarnento disse...

Alguém que começa uma frase com uma palavra que remete cruamente para o acto sexual, de uma forma despudorada, tem mesmo muita moral para criticar as inclinações linguísticas de quem quer que seja. Além do mais, a expressão "ordinário de sempre" é uma clara redundância.

E, se tu mesma dizes (referindo-te a mim): "tu sabes que é verdade", então, por que raio não te ajoelhas diante de mim (o sumo sumidade sumíssimo) e bates três vezes com a testinha no chão antes de me beijares os pés? (é a eterna teimosia dos ímpios, é o que é!)

sofia disse...

não sei porque existe sempre esta confusão de semantica entre nós. tu não percebes as nuances da dialéctica. Uma coisa é dizer "foda-se", outra coisa é dizer "foder" com um ponto final à frente como se tivesses a dizer um mantra.
E ordinário de sempre não é uma redundância, é um facto tao certo quanto tu seres um bardarmerdeiro de lingua (podes usar a expressao em fins libidinosos, se te satisfaz, nao me importo).

E vê la se tiras a porcaria da música do genérico dos 4400 trinta vezes a rodar. se batesse com a cabeça no chão por tua influencia seria por causa disso, foda-se!!!!

Cão Sarnento disse...

Foda-se, a ordinária de sempre!

sofia disse...

Eat my shorts

Cão Sarnento disse...

Bite me!

sofia disse...

Fode-te

Cão Sarnento disse...

Rodapé...

sofia disse...

AHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHAH
agora fizeste-me mesmo rir! ill give you that, asshole

Rafeiro Perfumado disse...

E quando a malta mete um supositório no cu, é por amor ou para ser fecundado?

Cão Sarnento disse...

Eu pensava que a malta tinha era metido 4 golos no cu (mas também posso estar a confundir os temas... como me foi diagnosticada Alzheimer embrionária, é possível (não me perguntem o que significa "embrionária" neste contexto).
Mas, também, digo-te, em teu favor, que poucos possuem o talento necessário para meterem as palavras "supositório" e "amor" na mesma frase e ainda revestirem a coisa com uma capa de pergunta pertinente.
Kudos to you, my fellow mutt.

Sabina disse...

Ai, fode-se, fode-se. Fode-se quem se ama e com quem se ama.

Isso é um mito urbano. Ou mentalidades atrasadas ou gente insegura. Tu não és assim, caso contrário não escreverias desta forma!

Mal de mim se os homens que eu amei, amar mesmo, não me tivessem fodido como deve ser. E, sim, ás vezes também fazíamos amor. Musiquinha lamecha, olhos nos olhos e amo-te antes e depois do orgamo. Mas quando era para foder, era mesmo para foder, valia tudo sem tabus.

Como é que se diz a uma mulher que se ama " quero vir-me na tua boca"?
resposta: a mulher inteligente perceberá que ele o quer, mas na ausência de luz e para os homens pouco comunicativos no sexo, diz-se simplesmente: " chega aqui a boca".

Ou vai ou não vai.
Nesse caso, next....

Cão Sarnento disse...

És uma abençoada. (sem qualquer conotação religiosa, claro está)

azhu disse...

Foder...

dizes tu que,

bem fodida = mal amada,

certo?

ainda bem que me esclareces,

(eu tão parva, amando-o como cadela bem fodida,com cio de um cão só, a dizer-lhe para se vir na minha boca!!!)

bem fodida = mal amadda,
a ver se não me esqueço.

Cão Sarnento disse...

Ainda bem que te irritei (parece-me que estavas a precisar de ser irritada).

Agora, essas conclusões são tuas. Eu deixei suficiente ambiguidade para permitir esse tipo de suposições.

Mas uma coisa te esclareço inequivocamente: não existe mal amada. Ou é amada, ou não é.

Tu, amando-o como cadela bem fodida,com cio de um cão só, a dizer-lhe para se vir na tua boca, deverias ter perfeita consciência dessa clara distinção.

E, só para tornar bem clara a minha posição (isso é que era bom!), não considero que "bem fodida = mal amada" seja uma dedução muito acertada. Quando muito, e seguindo o teu raciocínio tendencioso (apesar do meu ser, evidentemente, mais lógico) "bem fodida ≠ bem amada".

A ver se não te esqueces.

azhu disse...

Foi um tiro na àgua, falhaste o porta-aviões por várias quadrículas.

irritar-me?
porquê?

limitei-me a perceber, deves estar a falar de(com)outra pessoa.

de qualquer modo, muito obrigada pelos esclarecidos esclarecimentos. Corrijo:

bem fodida = pedaço de carne

certo?

percebi,
a ver se não me esqueço

carpe vitam! disse...

Mas que história é essa de foder ser um caralho e uma cona para começar entre parêntesis? Isso é uma forma muito pouco imaginativa de ver a coisa. Então não se pode começar com dois caralhos ou duas conas, uma língua e um cu, uma cona e dedos, um caralho e uns brinquedos e por aí fora, ok? Foder são dois seres. “Amor é um / Sexo é dois” (Há falta de melhor, um inspirado)

Welcome back!

carpe vitam! disse...

"Quando o querer é verdadeiro, amar e foder significam exactamente a mesma coisa." foste tu que o escreveste, lembras-te? Resta saber o que vem a ser isso de querer verdadeiramente…

A dificuldade está em fazer amor e foder fundidos e ainda assim respeitar a individualidade de cada um. A intimidade é uma cola apelativa mas intimidante; o respeito é uma vedação de arame farpado que nos protege mas também rasga. O respeito afasta as pessoas - a intimidade une-as.

É preciso estarmos afastados para nos podermos unir, é preciso estarmos presos para nos podermos libertar, ou não?

E ficamos assim, nesta espiral constante, a unir e afastar… será isso o amar? O foder?

o que eu gosto de masturbar a mente! e o corpo também, e os dois em simultâneo!

FUCK YOU VERY GOOD!
(sempre é melhor desejar qualidade em vez de quantidade ;)

Cão Sarnento disse...

Isto de dizer alarvices gratuitas nunca falha.
Vejamos o Saramago. O homem escreve um livro sobre o Caim (o touble child de Adão e Eva) e, logo a seguir, casca na Bíblia. Que melhor maneira de dizer "Ei! I'm back!"?

Eu, como estive ausente destas paragens por dois meses e tal, tinha de criar alguma celeuma. Senão, isto ficaria às moscas, ou às pulgas (que talvez seja mais apropriado).

Várias ilações podem ser retiradas desta pequena nota introdutória.

Agora, vejamos...

Olha lá, ó azhu, por acaso (assim, só por acaso mesmo), eu conheço-te (pessoalmente ou o que quer que seja)?

Outra pergunta: Tu gostas de forçar associações de ideias tendenciosas, só para tentares provar que tens razão, não é?

~

carpe, tu sabes que eu gosto de deitar lenha na fogueira, não sabes? Portantossss... se tiver de me contradizer algumas vezes só para me rir um bocado (ou, simplesmente, meter nojo, que também aprecio), so be it!

Concordo com a qualidade acima da quantidade mas, neste caso (para trocadilhices), o much serve melhor do que o good.

Já agora... (eu ia escrever aqui alguma coisa incrivelmente estupendaça, a sério que ia, mas distraí-me aqui com o meu umbigo e, pronto, que se lick-se.... passou-me).

azhu disse...

Vamos por partes (aposto que gostas da palavra):

Parte 1
(por acaso, só mesmo assim por acaso)

a)Se a pergunta era isso mesmo:
- SEI LÁ!
(Por acaso tens o nome, filiação, morada ou qualquer coisa por aqui ? Até tinha graça!!!)
e não me parece que ME conheças, deve ser a outra coisa qualquer...ou, espera lá, a coisa era bíblica!?

b)Se era só retórica e sobranceria
- VAI-TE RELER

Parte 2
Sim, gosto de ter razão, porquê? Tu não?
Quanto às provas e tendências, voltas a falhar o submarino, ó detentor da UMBIGuidade.

Azar,

Cão Sarnento disse...

Conheces as fábulas de Esopo? Particularmente, a fábula da Raposa e o Corvo? Nessa fábula, quais achas que são os nossos respectivos papéis? (recomendo alguma ponderação antes de responderes)

Engonha McQueen disse...

Isto não é nada comigo, bem sei... Mas eu acho que tu, my dear, és o queijo!
:D

Engonha McQueen disse...

(já agora, aonde é que se viu uma raposa querer um queijo?)

Cão Sarnento disse...

Psiu! Engonhita, my dearest... plize, du nóte guive auei dâ pârpuse óve mái rédhórique egzêrsai-se. ;)

(e quem é que não gosta de um queijinho, hã...)

azhu disse...

Ó Engonha, obrigadinha...

Estava eu a po-o-o-o-o-n-n-n-nderar de acordo com o conselho canino se deveria responder que achava que eu era o cacho de uvas

(devo estar enganada na fábula!)

sumarentas, lambidas, comidas, claro, devoradas eheheh!

de qualquer modo, para o efeito é igual.

bem comida = pedaço de fruta

a ver se não me esqueço.

game over

cassamia disse...

compreendi-te completa e totalmente, não fosse eu uma mulher para além de muito inteligente, uma mulher que sabe muito bem o que quer.
pois devo dizer-te que se um dia amares uma mulher que te impeça que lhe digas, deixa-me vir na tua boquinha, então, pobre de ti, é porque não a amas.
o amor e o respeito não são em nada antagonicos ao mais badalhoco e saboroso sexo. pelo contrário, é com o amor e o respeito que o sexo se torna de facto muito gostosamente badalhoco e saboroso.
eu sei que há quem pense que não.
mas olha, eu penso que sim.
ahahahahaha
nao podemos pensar todos o mesmo num é berdade?
seja como for, saboroso e badalhoco é sempre bom ahahahahaha

Cão Sarnento disse...

azhu, definitivamente, tens de começar a pensar fora da caixa. Se, em vez de te reduzires a um dos intervenientes directos da história, me apresentasses uma resposta que transpusesse essa limitação de raciocínio terias direito a palminhas. Mas, pronto... nas fábulas de Esopo, apenas um pode ser o Esopo (entenda-se, o detentor dos três omnis... vá, Deus). Está perfeitamente claro que, nesta fábula (sim, porque todos somos animais) esse lugar me pertence. (ah!... e não posso deixar de apontar a ironia de te teres colocado no lugar de um elemento inanimado, passível de ser comido independentemente de qualquer vontade que pudesse possuir)

Parece-me que necessitas de tomar mais notas mentais, a ver se não te esqueces.

And the game never ends.

~
cassamia, não questiono a possibilidade de saberes o que queres numa qualquer extensão da sabedoria, mas...?
"(...) se um dia amares uma mulher que te impeça que lhe digas, deixa-me vir na tua boquinha, então, pobre de ti, é porque não a amas."
Devo dizer que me perdi no teu raciocínio (não é sarcasmo, perdi-me mesmo). Queres explicar melhor aqui ao rapaz?
Mas é claro que não seria nada bom todos pensarem da mesma maneira. Eu divirto-me buééééssss com as diferenças de opinião. Além de que, se todos pensassem do mesmo modo, seria extremamente aborrecido que as pessoas estivessem sempre a concordar comigo.

Já agora, aproveito para dizer que o sentido no qual eu usei a expressão "respeito" não foi apreendido. Estou muito desiludido com essas cabecinhas! (pronto, não estou mesmo... eu fui umbíguo propositadamente para ver que interpretações surgiriam. Não tive surpresas, infelizmente. No geral, prevaleceu a mentalidade de: "ah, cá comigo não é assim! Eu e o/a meu/minha mais que tudo amamo-nos/respeitamo-nos muito e, mesmo assim, fodemos como animais!"

Quanto a isso, só tenho uma pequena afirmação a fazer:

DEVE SER, DEVE!

(pode até ser... agora, se é um com o outro, isso já é outra conversa)

sofia disse...

QUOTE AZHU
"a ver se não me esqueço.

game over"
UNQUOTE

oh cao sarnento, por muitas idiotices que escrevas e por muito que te esforces nao consegues manter os haters lol

os gajos(as) dão três arrotos azedos e depois desaparecem como um balão furado ^ ^

por isso vê la se tiras um tempinho da tua vidinha de cão para postares mais uma pérola, que o porco nem se deve aguentar de antecipação. :D

Rita disse...

Então pois sim é possível fazer as 2 coisas ao mesmo tempo - sim com a mesma pessoa e com apenas 2 pessoas no mesmo quarto. Ou onde fôr.

Who Am I disse...

as diferenças entre foder e fazer amor estão na cabeça e no sentir de cada um....em termos práticos (leia-se a forma de o praticar) é o mesmo.(ou devia ser)

Cão Sarnento disse...

Oh sofia, por muitas idiotices que escrevam e por muito que se esforcem em arrotar postas de pescada (que não chegam ao calibre das minhas postas de baleia azul), o facto é que grande parte dos haters são lovers frustrados (até parece que eu tenho alguma culpa disso tudo). E dar pérolas a porcos é mesmo um desperdício, em todos os sentidos, uma vez que os porcos comem de tudo.

Quanto ao resto do palavreado que já se disse para aqui e que, porventura, se venha a dizer, vou ser o mais claro possível: respeitamos a pessoa de quem gostamos antes do sexo e depois do sexo. Durante o sexo, o que todos querem é ser desrespeitados. De onde caralho acham que vem a puta da expressão "ah malandro, que desrespeitaste a minha rica filha!" (e nem quero falar mal, que hoje não me está a apetecer ir por aí) O resto são lengalengas que inventam romantismos efabulados em fantasias pueris. Get fucking real (and be honest with yourselves)!

Miss Kin disse...

Eu ia dizer que estou com a S* de lá de cima, mas não.

Amar é muito bom e foder também é muito bom, agora para a 1ª, estamos de corpo e alma e sem ter que pensar muito, na segunda é preciso uma preparação mental diferente.
Para amar, amamos quem amamos, mesmo que não tenha sido a tesão que nos tenha levado até ela, agora para foder, tem que ser mesmo aquela pessoa que nos entra na pele.

Cão Sarnento disse...

Olha, não vou questionar nada do que disseste (é chover no molhado), mas tenho de fazer um reparo que já tenho feito a outras pessoas em outras paragens:

TESÃO É MASCULINO, RAIOS PARTAM! O! O!

tesão
nome masculino
1.rijeza, tesura
2.figurado força
3.figurado impetuosidade
4.figurado perseverança
5.vulgarismo erecção
6.vulgarismo desejo sexual

(Do lat. tensióne-, «acto de retesar)



(pronto, agora que já irei isto do peito, o Nirvana está ao meu alcance)

Miss Kin disse...

Pronto, está bem, então queres que chame o quê, desejo?! Assim fica fraquinho!

Cão Sarnento disse...

Chama-lhe tesão. O tesão. :)

Miss Kin disse...

Ahhhh! LOL Não estava lá! LOL

OOOOOO tesão!

Obrigada pelo reparo ;)