Intrinsecamente lésbicas


Não me chateiem com casalinhos de namorados. Mas o que é isso, afinal? Síndrome de imbecilidade afectiva, que se traduz na carência ilusória de andar de mão dada com outra pessoa do mesmo ou diferente sexo, até que as mãos comecem a tornar-se pegajosas de suor e sabe-se lá de que outras mais secreções? Mas, afinal, qual é a porcaria da ideia dessa gente? Sim, porque casalinhos de namorados não são pessoas, são gente. Quando nos referimos a indivíduos que se prestam a comportamentos desviantes ou que simplesmente fazem coisas que podiam muito bem passar sem fazer, então chamamos-lhes “essa gente”. E depois, aqueles beijitos sem qualquer sabor e completamente desprovidos de erotismo. Mas afinal que porcaria de “chuack” foi aquilo? Então agora só se encostam os lábios e já está a coisa despachada? Não, não, meus amigos (não sou realmente vosso amigo, é apenas uma força de expressão, entenda-se), a coisa não se faz assim. Envolvendo ou não intenção ou consumação de língua no procedimento (consoante o gosto pessoal de cada um), a coisa tem de ser bem salivosa. Não há cá essa treta de beijitos secos e repenicados. Isso é adesivo para se colar nas bochechas rechonchudas das ternurentas criancinhas (apenas de uma forma carinhosa, e num gesto completamente desprovido de intenções sexuais, claro está). Já agora, aviso à navegação. Os pedófilos existem, e andam aí. É uma triste realidade. Mas não me venham com histórias da Carochinha… também há mulheres pedófilas. Não riam! A pedofilia não mete piada, apenas nojo. Adiante! Mas onde é que eu ia mesmo? Ah, já sei! Ia no ponto em que passava a explicar por que razão as mulheres são as únicas culpadas da existência dos beijos desapaixonados entre os casalinhos de namorados, afins e respectivos sucedâneos. A grande explicação é, na verdade, bastante pequena. Passo a explicar. Todas as mulheres são intrinsecamente lésbias. É isso, e pronto. E mesmo aquelas que se dizem praticantes de uma normalíssima heterossexualidade (não sei por que raio têm a necessidade de realçar o “normalíssima”), mesmo essas, inconscientemente, sentem um visceral e agoniante nojo do gosto das bocas dos homens. E porquê? Porque os homens sabem todos tanto ao mesmo que até chateia. É sempre a mesma coisa. Saibam que não saibam beijar, querem sempre meter a língua. Eu sei bem que é assim. Eu gosto de meter sempre a língua. Gosto de a enrodilhar na língua da mulher e embebê-la na sua saliva. Qual o motivo? Bem, se tenho mesmo de responder, não é por taradice, nem sequer é por curiosidade de explorar a boca alheia. Também esta explicação é francamente simples. Acontece que os homens são uns cães sarnentos que têm as línguas demasiado compridas para as manterem dentro das suas próprias bocas.

Cão Sarnento.

3 comentários:

sofia fashion disse...

Amigo(isto é uma força de expressao pk na realidade nao es)sabes pk e k nos mulheres nao deixamos voces(caes sarnentos)meter a lingua nas nossas bocas e utizimos a tecnica do beijo repinicado!?passo a explicar è pk sabemos k voces(caes sarnentos)andaram a meter a lingua na boca de outras mulheres k estao a ser tao enganadas como nos(as ditas namoradas)!!com os melhores cumprimentos desta tua amiga(k na realidade nao o è como ja disse é so uma força de expressao):)!!!

SA. disse...

Hã...? Será que podias explicar-te melhor? É que não entendo "mau" Português. Tenta, pelo menos, escrever todas as palavras por extenso, se não for demasiada sobrecarga para as tuas sinapses acostumadas ao sistema sms.

carpe vitam! disse...

é uma boa teoria. já me perguntei o que vejo nos homens. as mulheres costumam ser muito mais macias e doces. mas acho que é por isso mesmo. eu sou doce, e muito doce também enjoa (além do teor altamente calórico das coisas doces). Mas tal como me sabe bem saborear um bom chocolate, também sabe igualmente bem um bom vinho, daqueles nos deixam dormentes por detrás das orelhas... alguns homens têm o poder de me embriagar de prazer.


gosto muito das ilustrações, parabéns!