Segredos da pesca


Um “abre olhos” a todas as mulheres parvinhas que não sabem ao certo o que andam a fazer e, já agora, também para todas aquelas que até sabem o que andam a fazer mas apenas precisam de ter a certeza que estão no caminho certo. Vou agora passar a dar algumas indicações de como conseguir deixar um homem pelo beicinho (vá lá, rejubilem):
1- O homem é um animal de hábitos. Tenham isto sempre presente nas cabecinhas. (e vocês dizem: ah, e tal, grande revelação!). Sim, sim, à partida pode parecer algo demasiado óbvio. Acontece que, de facto, as mulheres já sabem isso muito bem. No entanto, o que sabem muito mal é que não lhes será jamais possível subverterem todos esses hábitos a seu bel-prazer. Vou mencionar apenas alguns. Se ele fuma, não tentem curá-lo logo na primeira semana de namorico. Quando muito, conseguirão que ele fume às escondidas, e terão de suportar o facto de saberem que ele está a mentir mesmo com o hálito a tresandar a tabaco. Se ele bebe demasiadas cervejolas, fazer reparos à barriga de cerveja pode não ser a melhor maneira de o convencer a beber menos. Abstenham-se de frisar demasiadas vezes que ele passa mais tempo com os amigos do que convosco. De maneira alguma (mas mesmo!) se coloquem na tal posição de: “Ou eu ou eles!” É má política. E o desfecho do velho jogo de entre a espada e a parede acaba quase sempre por ser desfavorável. Além do mais, se ele prefere mesmo passar mais tempo com os amigos, nem se ponham com tais cerimónias de dar a escolher ao menino. Calcem aquela bota com a biqueira mais aguçada e simplesmente PONTAPÉ NAS NALGAS AO GAJO!
2- O rapaz até gosta de pensar que é ele que manda (mesmo até os mais bananas gostam de viajar nesses devaneios). Bem, não lhes quebrem a ilusão. Deixem que eles permaneçam nas suas imaginárias sete quintas e se sintam como o rei em casa do seu sogro. Basta que lhes digam de vez em quando: “Vá, escolhe tu o filme.”
3- O velho e sacana jogo de anca. Enquanto a mulher tiver o poder magnético da pitinha, o homem vai sempre segui-la como se a pilinha fosse a agulha da bússola que aponta o Norte. Mas não tenham demasiadas ilusões quando a este ponto. O que não faltam por este mundo são mulheres com as suas pitinhas atractivas. E alguns (pronto, muitos) homens nem sequer se importam se são atractivas ou não. Basta-lhes que sejam pitinhas. Quanto a isto, só há uma coisa a fazer. Sejam boas de cama como o catano! (esta palavra também significa pénis, mas isso agora não vem ao caso). Para que saibam, a expressão “deixar o homem preso pelo beicinho” não é de todo lá muito correcta. Será mais acertado dizer: “deixar o homem preso pelo coisinho”.
4- A mais idiota e patética parvoíce de todas: o ciúme. Façam os gajos roerem as unhas e depois o sabugo. Se há por aí muitas gajas, também há gajos aos pontapés. (literalmente). Essa fobia paranóica de que a qualquer momento vai aparecer outra que o leva é uma perda de tempo e energia. Um perfeito disparate ilustrado com cores berrantes. Esse risco existirá sempre, independentemente de todos os esforços que se façam para preservarem o vosso rico tesourinho. Lembrem-se apenas disto: se esse risco existe para vós também existe para eles. Façam-lhes ver isso. Sei lá… o sugestivo decote (não em V mas sim em U, para que quase se vejam mesmo as vossas amigas do peito); a tal saia-cinto que pouco deixa à imaginação; umas abanadelas de traseiro ao som da música em lugares onde abundem os machos que vos comam com os olhos. Inventem um bocado. Desenrasquem-se.
É claro que isto que acabei de dizer são apenas meras indicações. Nada mais do que uma ínfima parte do que há para saber, até porque nunca se sabe tudo (felizmente). Seja como for, é a doutrina mais velha que há. Certamente que não fiz nenhuma revelação extraordinária. Nem é essa a minha intenção. Pretendo mais lembrar do que ensinar. E é claro que faço isto de uma maneira completamente desinteressada, sem esperar ganhar com isso o que quer que seja. Sou apenas uma alma caridosa. Mas admito que também pode ser pelo simples facto de que me mete dó (na verdade, é mais nojo mesmo) ver certas gajas a servirem de tapete a certos gajos que nem sequer são dignos de se considerarem o lixo que se acumula por baixo do tal tapete. É claro que tudo o que eu disse se pode resumir a uma única frase que servirá de sábio conselho a boa parte do mulherio que anda para aí de cabecinha tonta no ar, sem saber que basta deixá-la bem assente no meio dos ombros para começarem a pensar como deve ser. Pois bem, resumindo: DEIXEM DE SER BURRAS!

Cão Sarnento.

post scriptum (sim, é isto que significa “p.s.”): Ah! Para que não surjam certas dúvidas de que este cão anda a perder-se do seu rumo filosófico, e tal… 1- não tenho hábitos nocivos passíveis de subversão feminina; 2- não “penso” que mando… quando há essa necessidade, as coisas só pode ir de mal a pior; 3- no que diz respeito a jogo de anca… bem, eu sou bom como o catano! (quando muito, o Norte magnético serei eu); 4- ciúme? … para mim, é apenas um conceito teórico sem qualquer aplicação prática. Ser cão não é exactamente o que se pensa à partida. E o significado de sarnento nem sempre salta à vista.

5 comentários:

lalisca.cs-life disse...

Cão adorei, e digo-te muuuuito do que dizes aí no teu post é verdadeiro e penso que são conselhos muito válidos!!
Cabecinhas no ar é o que não faltam por aí, agora vontade de assenta-las nem por isso!!
Nas relações à situações standart, e as soluções são sempre as mesma, para quê então complicar o simples?? eu já me deixei disso, é canastivo e pouoc proveitoso!!

quer fumar, pois que fume(perto de mim não)

quer galar as gajas que gale as gajas então desde que não as foda

deixo escolher o filme sempre que queira porque simplesmente não temos que ver o mesmo filme

não uso a tal saia cinto, mas abano as ancas por aí para ele perceber que existe uma fila

sou boa na cama não por ele mas por mim, só faço que o gosto e do que eu gosto ele gosta sempre, sou mente aberta por isso uma ideia dele é sempre válida

e olha já chega que isto já vai longe!!

lalisca.cs-life disse...

Respondi-te lá no meu blog!!
beijinhos

sofia disse...

Lol tava a ver que não vinha por aí um desses posts sumarentos tao ao gosto do pessoal. É que, diga-se de passagem, há tanto por onde morder que já estou embaçada antes de começar. Mas deixa-me que te diga, rapaz… Vou já falar com a minha cabeleireira para ela deitar fora as revistas Maria e instalar um posto de Internet com o teu blog como home page. Hehe
Agora, quanto aos teus conselhos. Parecem-me um pouco tendenciosos. Quer dizer que para se fisgar um homem, basicamente, há que o deixar fazer e ser tudo o que lhe der na real gana? Meninas, não os tentem mudar! Se eles querem ser barrigudos, tomar banho só às quintas feiras (velhos hábitos, que se há-de fazer?) e usar botas de pele de crocodilo de matar baratas ao canto da parede, pois deixá-los ser assim!! E quem é que quer ser boa na cama com um exemplar desses? Pois, a ver bem as coisas, o segredo reside naquelas máximas da metade do século passado sobre os comportamentos apropriados de uma senhora e a importância do chinelo do homem para o bem-estar feminino. Portanto, ponto 1: Não tentar mudar o que já não tem emenda, não é? E depois, onde fica a evolução no meio disto tudo?
Segundo ponto: Deixar que o homem crie a ilusão de que é o comandante do seu navio. Neste ponto, até concordo um bocado contigo. Mas isso entra um bocado em contradição com o primeiro ponto. Isto porque, se é uma ilusão, a mão que segura o leme é na verdade uma mão com unhas pintadas. De qualquer forma, é de louvar que admitas que cão sarnento ou não, líder da matilha ou não, o seus 15 minutos de fama limitam-se ao momento áureo em que escolhem o filme que se vão ver ao cinema (nem que seja de dois em dois anos). Vá lá, o cão está a mostrar sinais de rebelião. Deixemo-lo escolher o filme em prol de mais 2 anitos de servidão. Hehe (até rimou).
Ponto 3: Não concordo muito com este ponto. Mas tu que tens pilinha, deves saber mais do que eu, não é verdade? É que eu, na minha santa inocência, esperava mais do sexo masculino. A pilinha é que manda? Já agora porque é que não lhe pões um capacete de comandante com um penachinho à lá Napoleão Bonaparte? (err… não fiques com ideias. Eu sei que tu és um homem original.)
Ponto 4: O ciúme. Ahh esse velho monstro de olhos verdes!! Às vezes tão irritante, às vezes tão divertido. Pois essa guerra fria que retratas às vezes cansa. Até parece que as mulheres são um monte de meninas inseguras com medo de perder o seu deprimente tesourinho. News for you, my little boy: Ainda há mulheres seguras neste mundo e que sabem o que valem.

Em conclusão:
PÁRA DE TE TENTARES INFILTRAR NA TRINCHEIRA DO INIMIGO! Se nós fossemos dar ouvidos a esses TAO BEM INTENCIONADOS conselhos, deixávamos de chatear os homens, deixávamo-los escolher sempre os filmes (NOT), fazíamos da sua pilinha o nosso ídolo e razão de existir, e andávamos peladas na rua a abanar a bunda a quem passasse.

cadela tinhosa disse...

Ó alminha caridosa, esses teus serviços de consultadoria eram mais bem empregues ali na Areosa… não me parece que aqui tenham alguma utilidade…, mas pronto, reconheço-te ao menos o diploma de “cão-que-pesca-tanto-disto-como-os-outros!!!”
É que este cão é mesmo um sabichão!!! Vá de recorrer à doutrina que cheira a mofo, e ó para mim como domino isto? Pois sim, a mim não me enganas tu! Mas se calhar sou só eu, que distingo ao longe o cheiro de um robalinho assado com batatas à murro de uma faneca frita… com tripas!:D
E para trocar em miudeza, o que eu cheiro mesmo é o desatino por falta de pistas para chegar à meta em tempo útil!;) e então, toca a atirar filetes de pescada para ver se alguém se descai e mostra o caminho da luz!Azarucho… ao menos desafinas baixinho, que é sempre bom para preservar os ouvidos!:D
Se com essas dicas de vão de escada vocês já ficam pelo beicinho… tadinhos dos animais quando nos pomos no exercício de uma mão cheia de virtudes que Deus nosso senhor nos incutiu… ficam com a façanhuda num oito, é o que é! E tudo sem intenção… Só aí é que nos bate na alma, e lá vos deixamos escolher o filme para o serão, que o dia até foi puxado e não há pachorra para choradeiras irritantes…
Aprende, sarnento, assim se canta na Sé!!!

Cão Sarnento disse...

(imaginem aqui o meu sorriso de contentamento) Sim, senhor! Isto está mesmo bem encaminhado! Finalmente começo a ler aqui umas respostas razoavelmente espertinhas... aleluia! Já começava a temer que tivesse de ser sempre eu a dizer a senha e a contra-senha. (isso não seria tão divertido com receber este gargalhante feedback...não seria, não senhor!) Mas olhem lá, ó miuditas pequenitas, não estou a ver bem a razão de tanto espalhafato acerca das minhas acertadíssimas lições de pesca. Eu deixei claro que eram indicações básicas para as idiotazinhas que estão como a tola no meio da ponte. As espertinhas deveriam saber que o que eu disse é absolutamente axiomático, e que tudo começa a partir daí. Ou será que me deverei questionar se essas tais espertinhas são mesmo assim tão espertinhas? Ou, indo mais ainda ao cerne da questão, será que denoto aí uma certa irritação por eu ter posto a nu os preceitos básicos das simples necessidades femininas? (sim, porque as minhas lições até falam do que ambos os sexos querem) Vá lá… admitam sem hipocrisias que, no fundo, todos somos tão básicos quanto isso. (sim, sim… eu incluo-me nessa generalidade… GRANDE NOT!). E depois ainda há aquelas que, não contentes em atacar a suprema sabedoria das minhas elevadas palavras, ainda tentam o desatino de distorcer o seu significado. Obrigado! É apenas mais uma inestimável contribuição para a minha vontade de rir. Como eu gosto muito das minhas ricas analogias, aqui vai mais uma: essas mulherezinhas do contra são… (como hei-de dizer isto sem suscitar a ebulição sanguínea nas suas veias feministas?) … ora, a bem dizer, são como fanáticas religiosas. Todo e qualquer argumento absolutamente lógico que lhes apresentemos para comprovar uma realidade perfeitamente verificável através da simples observação, é rebatido imediatamente com declarações absurdamente dogmáticas e nascidas apenas da sua limitada compreensão daquilo que realmente move as coisas. E nem sequer me vou dar ao trabalho de salientar demasiado que os meus sábios conselhos são apenas indicações e não regras absolutas. E para quem possa pensar que eu estou a tentar infiltrar-me na trincheira do inimigo (uma pequena pausa para rir) … acontece que, se eu sei o que sei, é porque JÁ passei muito tempo infiltrado na trincheira do inimigo (apenas uso esta designação para um melhor seguimento do raciocínio). Das duas, uma: a) acreditam inocentemente que nem tudo é assim tão redutor como a ideia de que tudo gira em volta da pilinha, apesar de todas as evidências que contrariam essa ingenuidade; b) não possuem percepção suficiente para alcançar a ideia de que se tudo gira à volta da pilinha, é a pitinha que faz tudo girar. Vendo bem, talvez se devam considerar as duas alíneas em conjunto. Mas como eu acredito que o equilíbrio reside sempre na dualidade de dar e receber na mesma medida, não estou aqui só para ensinar. É claro que me disponho também a aprender. Ainda estou à espera de aprender qualquer coisita. Suponho que se esperar o suficiente, e ferir mais algumas susceptibilidades, talvez uma ou outra espertinha se saia com o milagroso ensinamento. Mas enquanto esse prenúncio do apocalipse não se manifesta, vou deixar-vos um pequeno doce: eu já disse que o Cão é brincalhão, mas não se enganem (pois não é essa a minha intenção… enganar, isto é), o Cão também é sacana… e como, por norma, não dou ponto sem nó, devo alertar que aquilo que eu escrevo é uma espécie de teste de mentiras. E garanto que toda a gente se descai, mesmo que pense não o fazer. Heads up, people!